Faixa publicitária
Localização: HOME BASKET CLINIC JOGADORES ENTREVISTAS Em busca de oportunidades

Em busca de oportunidades

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
Avaliação: / 112
FracoBom 

altHá um português a disputar os playoffs da Liga EBA, em Espanha. Chama-se Ricardo Gaocho, tem 23 anos, e passou pelas selecções jovens do nosso país.

Tendo começado a jogar no Clube Elvense de Natação, passou pelo Campomaiorense, Círculo Badajoz, Física de Torres e representa actualmente o ABP Badajoz, equipa que venceu o seu grupo na Liga EBA e entra este fim-de-semana nos playoffs de promoção à liga LEB Prata, enfrentando a equipa B do Real Madrid.

O Planeta Basket falou com este jovem jogador que, depois de um problema físico, volta a jogar a um bom nível e espera ter novas oportunidades em Portugal.


Olá Gao, que balanço fazes desta temporada no ABP Badajoz? Estás a cumprir os teus objectivos?
O meu principal objectivo este ano era saber se podia voltar a jogar basquetebol sem limitações, depois da operação a uma hérnia discal a que fui submetido. A temporada correu melhor do que eu esperava, tanto a nível individual como colectivo, pois consegui treinar toda a temporada sem limitações e, desde a primeira jornada, conseguimos manter o primeiro lugar do grupo D da liga EBA.

Foi muito difícil garantir o primeiro lugar no vosso grupo? O objectivo é a subida?
Foi difícil, pois algumas das equipas desceram da LEB Prata mantendo o plantel completo e muitos jogadores já tiveram experiencia na LEB Prata e Ouro.
Sim, o objectivo agora é chegarmos a final do playoff e subir de divisão.

O que esperas encontrar no confronto frente ao Real Madrid B?
Como todos sabemos o Real Madrid é uma instituição d basquetebol a nível europeu, conforme a presença na final four da Euroliga pode confirmar. Não vamos jogar contra a equipa principal, mas os escalões de formação trabalham todos com os mesmos moldes e muitos dos jogadores da equipa B treinam várias vezes na equipa A do Real Madrid. Vamos tentar contrariar este favoritismo sabendo o grau de dificuldade que vamos encontrar, tendo eles uma rotação de 12 jogadores todos ao mesmo nível.

Começaste a jogar numa região onde o basquetebol tem pouca implementação. O que te fez começar a praticar a modalidade?
Comecei a jogar no Clube Elvense Natação, depois no Campomaiorense, quando acabou a época em júnior passei pelo Circulo de Badajoz e outra vez depois da operação à hérnia para ver se tinha possibilidades de voltar a jogar a um nível superior. Desde sempre na minha família o desporto principal foi o basquetebol, inclusive alguns deles mentores da iniciação deste desporto em Elvas. Também devido ao facto de estarmos tão perto de Espanha, tínhamos acesso à televisão espanhola onde se podiam ver jogos da ACB e da NBA num canal público, passando então para mim o gosto pela modalidade.

Representaste a selecção nacional nas camadas jovens, como foi a experiência?
Foi, sem dúvida, uma boa experiência, principalmente quando vivi um ano no Centro de Alto Rendimento no Porto e participei com a selecção nacional no apuramento para o campeonato europeu na Hungria.

Sentiste que cresceste como jogador ao integrares a selecção?
Sim, senti que cresci como jogador, só tive pena de não me darem continuidade à formação que tive durante esses anos, pois muitos da minha geração e de outras que por ali passaram, já não jogam basquetebol,  sendo que  poucos integraram selecções seguintes.

Ainda júnior, tiveste a tua primeira experiência em Espanha (Círculo de Badajoz). O que te levou a ir para o país vizinho?
A localização geográfica, o nível em que o basquetebol espanhol se encontra em relação ao português e, acima de tudo, o facto de não ter mais nenhum clube a menos de 100 km. 

Depois, voltaste a Portugal para jogar na Física, e apesar de excelentes exibições na equipa B, nunca conseguiste afirmar-te na equipa principal. O que pensas terá contribuído para isso?
No inicio de uma época, quando são alimentadas expectativas e os treinadores dizem que vão dar oportunidade aos jogadores mais novos para começarem a ganhar experiência a outro nível, isso em Portugal raramente acontece, nem quando os resultados são favoráveis em dezenas de pontos os jovens tem a oportunidade de jogar uns minutos e com isto um jogador que treina uma época inteira e se esforça, como aconteceu comigo, não recebe o devido valor. Acaba por ser desmotivante, e leva à desistência de vários jogadores que sobem a sénior. Mesmo não tendo as oportunidades que eu achava que merecia, nunca desisti e sempre lutei por aquilo que realmente gosto.

Ainda assim, fizeste parte da equipa que ganhou a Proliga em 2008. Qual foi a sensação de fazer parte de uma equipa campeã, ainda para mais num ano em que a Proliga teve tanta atenção mediática?
Foi uma sensação única, a equipa sempre trabalhou unida e lutou para que esse objectivo fosse cumprido. Um dos grandes momentos foi chegada à final depois de eliminarmos o Benfica, sendo esta uma equipa que manteve o plantel que tinha na liga profissional.

Depois de saíres da Física, o que aconteceu com a tua carreira? 
Quando saí da Física tinha uma hérnia discal na zona L4-L5 que tinha sido diagnosticada há vários meses. Fui a muitos médicos procurar soluções e, em consequência, fiz várias radiografias, TACs e ressonâncias, acabando tudo isto por ser descontado no valor do seguro que tinha do clube. Alguns meses depois, a lesão piorou, não me permitindo treinar ou trabalhar, pois mal conseguia andar ou sentar-me. Posto isto, a única solução foi uma operação complicada e cara que o seguro desportivo não cobriu, precisando assim de uma ajuda monetária dos meus familiares. Sem clube e depois desta operação, demorei um ano e meio a recuperar, tendo como único apoio a família e amigos.

Estares a jogar no  ABP Badajoz é um sinal de que podemos voltar a ver-te num nível mais alto em Portugal?
Chegar ao ABP Badajoz foi de grande mérito para mim, consegui voltar a fazer aquilo que gosto depois de tudo pelo que passei e trabalhei. Gostava de voltar a jogar em Portugal, se o projecto fosse tentador e com objectivos claros, pois voltar a passar pelo que passei e ver equipas com rotações de apenas 6 ou 7 jogadores não é o meu objectivo para o futuro.

Para terminarmos, como comparas os níveis de jogo, na formação, entre as competições portuguesas e espanholas?
Na formação, comparando competições, penso que Espanha está num nível superior, pois os treinadores espanhóis pensam de maneira diferente em relação à importância do trabalho com as jovens promessas e escalões de formação. Outra razão é a grande influência de jogadores espanhóis na NBA e ACB, sendo esta a segunda melhor liga do mundo. Por último, e não menos importante, a quantidade de adeptos que seguem o basquetebol em Espanha também influência.
No ABP Badajoz, que esta na liga EBA, na quarta divisão em Espanha, existe um nível de competitividade igual ou superior ao da Proliga. Treinamos todos os dias e está sempre presente um fisioterapeuta e um preparador físico e para os jogos também nos acompanha um medico. Todas as semanas é feito um “scouting” da próxima equipa com quem vamos jogar, para estarmos preparados e conhecer o nosso adversário.

Desejo-te boa sorte para os próximos jogos e para o resto da tua carreira.

 

Comentários 

 
+3 #14 tavares 25-05-2011 02:19
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=187715014611903&set=t.100000731674966&type=1&theater

12\1\2008 juniores A sub-20
a um passo de se subir a sénior

Física Torres Vedras 77 Benfica 68

neste jogo o Gao meteu 45 pontos ao Benfica

porque? porque? desculpem eu não sou o Mourinho

porque estes sub 20 não vingam em seniores ?
Citar
 
 
+7 #13 tavares 23-05-2011 01:50
E contra todos os prognósticos la se foi o Real Madrid de ferias mais cedo
ABP 65 ,,, REAL MADRID 55

e por ultimo a toda poderosa equipa de Barcelona Eninter-Santfeliuenc vs. ABP

abraço
gao
Citar
 
 
+8 #12 Carlos de Oliveira 22-05-2011 21:51
Grande entrevista meu irmão...bem excusado sera dizer mais uma vez que para mim tu mereces e tens lugar em qualquer uma das equipas em Portugal, isto é a minha opinião, eu tive o prazer de jogar a teu lado ao longo de toda a nossa juventude,desde escola,federado s,streetBaskett ...etc tudo e mais alguma coisa...e a teu lado raramente perdi um jogo,alias nem me lembro de ter perdido algo contigo...em fim só quero dizer que é pena o nosso país nao aproveitar o que tem de tão bom...este menino RICARDO GAOCHO um dia sera recordado para sempre,mas só expero que seja bem lonje deste nosso País mediocre...continua meu irmão, digo e repito seras sempre o meu jogador Favorito!! um ENORME ABRAÇO my Friend.
Citar
 
 
+10 #11 tavares 15-05-2011 21:59
1ª mão

Real Madrid 70 ABP 79

força Gao
Citar
 
 
+7 #10 Margarida Reis 14-05-2011 16:31
Ganda cunhadãaao pá ! Parabéns
Citar
 
 
+13 #9 Ricardo Ribeiro 13-05-2011 23:39
Só um grande Homem resiste a tantas adversidades ao longo da carreira... o abandonar o lar para viver o sonho e as lesões tornaram-te cada vez mais guerreiro. Conheco-te desde os 16 17 anos e nunca duvidei que o teu querer seria recompensado. um grande abraço
Citar
 
 
+8 #8 tavares 13-05-2011 03:09
aqui fica o link Gao para todos os amigos que o queiram felicitar

https://www.facebook.com/ricardo.gaocho

abraço
Tavares
Citar
 
 
+8 #7 tavares 13-05-2011 03:00
para todos os amigos do Gao aqui vos deixo o link do facebook.

abraço e continua lutando

tavares
Citar
 
 
+6 #6 rugaos 13-05-2011 02:53
Tanto na vida pessoal como na vida profissional o necessario é nunca perder o nosso sonho e lutarmos sempre por ele ....tu lutas-te e acredistas-te sempre em no teu sonho e em ti por isso te admiro meu sobrinho .....força para os play off e como disem nuestros hermanos a por elhos
Citar
 
 
+8 #5 Pedro Sereno 12-05-2011 22:13
Excelente entrevista Gao. Muito realista no que toca à aposta em jovens nas equipas séniores, pois a realidade é que são muito poucos os que têm essas oportunidades. Não te esqueces-te do Clube Elvense de Natação e isso é sinal que valorizas muito o teu início no basquetebol. Conheço-te muito bem e outra coisa não seria de esperar.
Boa sorte para o playoff que não vai ser nada fácil. Tens de continuar como tens feito durante toda a época, trabalhar, trabalhar, trabalhar e cumprir sempre com o que te pedem. A tua equipa tem vários jogadores importantes e soubeste sempre aceitar o teu papel. Tenho a certeza que esta época marca o início da carreira que tanto desejas, e como já te disse várias vezes, as oportunidades de bons projectos não te faltarão.
Grande Abraço
Citar
 
 
ARTIGOS RELACIONADOS:


Buscas no Planeta Basket

  • Treinadores

  • Lendas

  • Resultados

Sample image Canto do Treinador Exercicios, comentários, artigos, etc...ver artigos...

Sample image Lendas de Basquetebol Quem foram as personagens marcantes da modalidade. ver artigos...

Sample image Resultadoos e Classificações Todos os resultados na hora... Ler mais...

Facebook

 
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária